26 de jul de 2012

O Preconceito e o Amor

Depois de muito escrevo novamente, e nosso título-tema nos remete a ópera La Fille Du Régiment de Gaetano Donizetti. Uma ópera buffa (ópera cômica) que conta a história de uma lavadeira adotada (Marie) pelo regimento e um jovem soldado (Tônio), além de outros personagens que dão comicidade a ópera mesclando com um ar de conto de fadas reverso.
A ópera se passa na França, onde uma criança cresceu em um regimento militar em época de guerra. A marquesa voltando de seu chatêau é apresentada a Marie como sua tia, que insiste em tirá-la do regimento e levá-la para ser educada em sua casa. Marie se mostra uma mulher fora dos padrões da sociedade, e é resistente quanto à educação que vem recebendo de sua tia. Quando ainda estava no regimento Marie se apaixona por um soldado, e se entrega ao amor, entretanto nesta nova fase de sua vida, sua tia pretende casá-la com o duque de Crakentorp. No decorrer da ópera até a cena final, a marquesa revela a Marie que é sua mãe legítima e concorda que ela seja feliz e se case com Tônio seu verdadeiro amor.
Esta ópera nos mostra a importância de se libertar de certos preconceitos e nos dar a chance de amar e permitir que outros amem de sua forma. O amor em sua essência primordial nunca vem desrespeitar ou agredir a outrem, o que pode ocorrer na maioria dos casos é a personalidade do ser (geralmente com distúrbios) interferir no sentimento levando às vezes a um estado gritante de exageros públicos. Lembremo-nos de combinar o amor e a paixão com o respeito!
Amar uma pessoa de classe social diferente, de outra raça ou do mesmo sexo, não é um crime, o que temos visto hoje em dia é um exacerbado preconceito que tenta sufocar essas expressões de amor, causando danos morais e em alguns casos psicológicos em suas vítimas. O que devemos tomar como lição a ser seguida desta ópera, é a quebra do preconceito e a entrega ao amor. Muitas vezes deparamo-nos com o falso moralismo que diz aceitar certas relações, mas desde que sejam escondidas, porque elas ferem os olhos da sociedade. Lembrarei a todos que em certa ocasião no passado era um escândalo gigantesco uma mulher pensar em querer trabalhar. Graças a Deus evoluímos com o passar dos séculos, mas ainda sim há mazelas enormes presentes na sociedade.
Às vezes até fico sem entender o que um relacionamento alheio pode nos causar tanto prejuízo a ponto de querer destruí-lo. Abram suas mentes e abram seus corações para o amor, ver um casal homossexual de mãos dadas é tão bonito quanto ver um casal heterossexual fazendo o mesmo, o importante é ver o sentimento. Façam o mesmo ao presenciar um beijo de um negro com um branco, um pobre com um rico e etc. O amor está aí para quebrar paradigmas errôneos, e corrigir as feridas da alma. Deixe que o amor flua, e o fortaleça se estiver ao seu alcance, assim como o sol dá a força a um botão de um lírio para abrir e perpetuar sua beleza.
Então por que ter medo de amar? Ame-se, ame o próximo, ame sua “alma gêmea”, permita-se amar e ser feliz sem preconceitos.

0 comentários:

Postar um comentário